Uma conversa com Lygia Fagundes Telles sobre literatura e educação

Uma semana depois do encantamento da grande dama da literatura brasileira, Lygia Fagundes Telles, o blog resgata uma conversa com a autora de “Ciranda de Pedra”, “Antes do Baile Verde” e “As Meninas”.

Em outubro de 2012, estava em São Paulo, quando encontrei com Lygia, imortal e uma das mais importantes e notáveis escritoras brasileiras do século XX.

A conversa aconteceu na Academia Paulista de Letras. O que me marcou profundamente foi a forte consciência social de Lygia.

Há dez anos, ela avaliava que aquele era um “momento pobre da literatura” no Brasil. Explicava que o principal fator dessa situação era a ausência de escolas. E o resultado disso, acrescentava a imortal, era a ignorância e o analfabetismo de parte da população. “É terrível”, desabafou. “Os dirigentes têm que apostar mais em creches e escolas”, completou Lygia na ocasião.

Por Gerson Camarotti

O diagnóstico estava preciso. Lygia fará muita falta ao país. Veja a conversa, que foi ao ar no Globo News Em Pauta

Fonte: G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Precisa de ajuda?